Quase 70% dos brasileiros estão endividados: veja o que fazer para sair das dívidas

homem endividado com bomba quase explodindo


Conteúdo



Não é novidade que o brasileiro adora se comprometer em dívidas, 48 parcelas, cheque especial, agiota e afins. Muitas famílias fazem tantas dívidas que precisam chegar ao ponto de escolher qual vai ser a queridinha da vez que vai ser paga e as que irão ficar aguardando surgir dinheiro.


Esse endividamento decorre de diversos fatores como por exemplo, desemprego, principalmente após o início da pandemia, a qual instaurou uma crise econômica no país e obrigou empresas a mandarem seus funcionários embora ou falirem.


Também pode-se citar a falta de organização e conhecimento financeiro, a maior parte das escolas nem se quer fala sobre finanças; acúmulo de vários cartões de crédito com uso excessivo e os juros que vão acumulando com as dívidas, além das multas, fazem uma verdadeira bola de neve.


A inadimplência cresceu mais ainda entre jovens, os quais são mais amigáveis com o uso do cartão de crédito, aliás, no uso de vários cartões de crédito. A digitalização de dinheiro, no contexto do isolamento social, onde as compras precisam ser resolvidas no meio digital e nisso a maior parte dos serviços são agora feitos de modo online, contribuiu bastante com o endividamento. 


Para contratar um cartão de crédito, muitas vezes é só baixar o aplicativo da instituição e em poucos dias ele já chega no endereço escolhido, sem burocracia.


Isso se deve ao fato de que agora na maioria das transações não se toca no dinheiro, não é preciso ir na lotérica, dá para usar o próprio celular mesmo, e com isso o valor de cuidado, de pena de ver o dinheiro indo embora é bem menor, além da sensação de dinheiro infinito, como se ele nunca fosse acabar, como se um bom limite de crédito fosse resolver a vida.


Para conseguir não se endividar é preciso ter consciência de que o que é gasto com cartão de crédito terá que ser pago depois, caso contrário, existem grandes chances do seu endividamento o inserir no Serasa.








Como sair das dívidas?


Depois de ter aprendido que não é nada bom ter seu nome atrelado a vários boletos que você não consegue pagar, é preciso tomar atitudes sérias para então conseguir eliminar as dívidas e sair de uma vez por todas do vermelho.


Para isso é necessário passar por uma reeducação financeira, assim como quem quer emagrecer precisa passar pela difícil reeducação alimentar, afinal, sem mudanças de hábitos, você irá cometer os mesmos erros.


Comece conhecendo seu orçamento, quanto é sua renda, e defina quais são seus gastos prioritários. Estabeleça seus gastos fixos, como água, luz, aluguel, gás, faculdade, internet dentre outros, somente depois de somar todos esses gastos dos quais não tem como fugir, aí sim veja com o dinheiro que sobrar, uma parte para comprar algo que te agrade, e a maior parte para guardar na sua reserva de emergência e pagar dívidas.


Outro ponto essencial é não fazer novas dívidas. Não irá adiantar de nada todo seu esforço para mudar de vida, se atrelado a isso está acumulando mais boletos para pagar, será como andar em um círculo vicioso. Mantenha seu controle e não compre mais nada, a não ser que seja extremamente essencial.


Importante também reduzir seus custos, reflita: 


  • Será que aquele lanche no trabalho você não poderia levar uma marmita feita em casa?
  • Será que é preciso mesmo morar em uma casa de aluguel do tamanho da sua atual? 
  • Será que preciso de uma tv por assinatura?


Por fim, veja a possibilidade de fazer renda extra, mas esse dinheiro extra é para ser usado para quitar as dívidas e não para fazer outras novas. Renda extra pode parecer algo difícil, mas não necessariamente. Que tal vender trufas no trabalho ou pegar alguns trabalhos acadêmicos para formatar?


No caso das pessoas desempregadas é preciso insistir em arrumar um emprego ou fazer trabalhos independentes até que a sua vaga chegue. Bicos como garçom, divulgador de marca, entregador de panfleto, pedreiro e professor de alguma matéria que você domine como música por exemplo, são algumas hipóteses de como você pode começar.



Qual dívida pagar primeiro?



Com tantas dívidas acumuladas pode ser até complicado decidir qual será paga logo no início. Comece com aquelas que possuem uma taxa de juros maior. Às vezes você pode ter pegado dinheiro emprestado da sua mãe por exemplo, mas ela não lhe cobrará juros, enquanto a taxa de juros do seu cartão é de 5% por exemplo, então verifique a taxa de juros de todas as suas dívidas, para saber quanto cada uma delas irá aumentar.


Geralmente, as dívidas mais caras são as que possuem taxa de juros maior, enquanto as menores tendem a crescer menos.


Se você se encaixa nesse 70% dos brasileiros que estão endividados, espero que essas dicas lhe tenham sido úteis e agora basta aplica-las. 


Lembre-se: definir orçamento, não fazer novas dívidas, diminuir o custo de vida e fazer renda extra.


Continue acompanhando o Se Torne Investidor para mais dicas sobre finanças!







0/Deixe seu comentário

Agradecemos sua mensagem!

Em breve responderemos! 😉